Jovens chilenos participam de vivência na Copaíba

Já não  é a primeira  vez que  a  Copaíba faz parte do roteiro de vivências de  jovens intercambistas.  Todos  os anos,  a  instituição recebe diversos  grupos de  jovens  estudantes estrangeiros que passam  por  diferentes experiências no Brasil, praticando  o voluntariado – uma ação nobre que permite  a troca de conhecimento, aprendizados e ainda ajuda uma causa socioambiental.

Mais um desses  grupos  esteve  visitando  a Copaíba.  Oito jovens  estudantes   chilenos vivenciaram práticas da rotina da  instituição por dois dias. Eles vieram por intermédio da Experimento  Intercambio  Cultural  e  Terra Nativa Ecoturismo. Trata-se de uma iniciativa educacional do município “La Pintana”,   uma das comunidades mais vulneráveis da cidade de Santiago. Eles foram selecionados e passaram por entrevistas pessoais e provas, além de exigir,   como  parâmetro  decisivo   para  a escolha, um desempenho escolar exemplar.

Os estudantes participaram de diversas atividades da Copaíba, acompanhados pela Coordenadora local do Programa em Monte Alegre do Sul, Sharon Woodyatt Biffarate, e pela líder do grupo, a chilena, Romina Pinto.

Durante a vivência, todos eles tiveram a oportunidade de conhecer de perto o processo de produção de mudas e também participaram de atividades práticas em meio a reserva florestal da Copaíba. Foi a primeira vez que o grupo participa de 100% das atividades na nova sede da instituição. “Ainda há adaptações a serem feitas tanto para as atividades do dia a dia, como a produção de mudas, assim como para as ações de sensibilização ambiental. Aos poucos vamos aperfeiçoando os espaços e a logística”, comenta Flávia Balderi, Secretária Executiva da Copaíba.

A coordenadora local, Sharon, que sempre acompanha as atividades com os diferentes grupos, ficou satisfeita com o resultado. “Acho que agora a vivência está completa. Todas as atividades podem ser feitas aqui e a organização ficou perfeita. Foi incrível os ver caminhando entre as árvores, como se estivessem desbravando o meio da floresta. Sentir isso in loco é muito rico, principalmente para eles que vivenciam outra realidade”, comenta Sharon.

Para encerrar a vivência, cada um dos estudantes plantaram uma árvore nativa da Mata Atlântica. Essa experiência faz toda a diferença na vida deles. “Eu nunca tinha plantado uma árvore. A conexão com a natureza começou assim que passeamos pela floresta e ela foi completa com o plantio da muda. Foi maravilhoso!”, comenta Catalina Diaz Poblete, 16 anos.

A vivência desses estudantes na Copaíba, assim como as demais experiências que eles tiveram no Brasil, marcam a vida desses jovens e eles levam consigo, a vontade de se tornarem pessoas que fazem a diferença. “Acho que se conectar com a natureza é salvar o mundo de certa forma, pois isso leva às pessoas a terem consciência de si e da importância de cuidar da natureza e assim poder salvá-la”,  comenta Felipe Eduardo Toro Fiuca, de 16 anos da comunidade “La Pintana”.

A Copaíba recebe grupos na sede e viveiro para desempenhar seu papel de sensibilização ambiental e dar a oportunidade dos participantes vivenciarem essas experiências.

Compartilhar

Comentários