Por que conservar a Mata Atlântica?

No dia 27 de maio comemora-se o Dia Nacional da Mata Atlântica. Bioma tão rico em biodiversidade e importante para todos, mas ao mesmo tempo uma das ecorregiões mais ameaçadas do planeta.  Essa data simboliza a reflexão pela floresta que um dia ocupou uma área aproximada de 1.300.000 Km2, estendendo-se por 17 estados brasileiros.

Mas por que devemos nos importar com a conservação da Mata Atlântica?

Devido sua riqueza é ela que fornece água para mais de 60% da população do Brasil. A abundancia em água e outros recursos naturais fazem da Mata Atlântica um bioma muito populoso. Em sua área geográfica vivem, hoje, cerca de 145 milhões de brasileiros, quase 70% da população.

Atualmente, restam apenas 8,5% dessa vegetação. Mais de 90% foram destruídos ao longo de muitos anos. Mas não precisamos ir muito longe. Nossa região, considerando as bacias dos rios do Peixe e Camanducaia, que inclui o circuito das Águas Paulista e alguns municípios do Sul de Minas Gerais, perdeu mais de 95% dessa floresta.

Nossas águas, nossa biodiversidade, nossa fauna e nossa flora restringem-se à uma Mata Atlântica totalmente divida em pequenos fragmentos florestais espalhados por toda a região. A situação crítica dessa floresta se estende por todo território nacional. Ela é essencial para a biodiversidade, fundamental para a estabilização do clima, para o fornecimento de água, a conservação do solo, da vida e do bem estar de todos os seres humanos.

Lutar pela conservação da Mata Atlântica é mais do que proteger as Unidades de Conservação, do que batalhar para que uma espécie saia da lista ameaçada. Na prática, a conservação da Mata Atlântica está relacionada às coisas rotineiras do nosso cotidiano, ações muito mais simples do que imaginamos. Pequenas atitudes, juntas, se transformam em grandes iniciativas.

Podemos praticar? Comece a cuidar das árvores da sua rua, a contemplar a natureza da sua região, valorizar a beleza cênica do seu entorno, a economizar água, separar o lixo, plantar árvores, consumir menos, optar por produtos e ações sustentáveis e menos agressivas à natureza.

Todas essas ações contribuem para a sua conservação, não e tão difícil assim. Podemos, juntos transformar nosso futuro, começando por nós mesmo, pelo nosso bairro, nossa cidade e de toda a região.

Compartilhar

Comentários