Produtor orgânico e plantador de florestas!

 

Célio Rodrigues de Morais vem de uma família de agricultores. A lavoura entrou na família há muitos
anos, com seus bisavós que vieram da Itália, e deram início ao cultivo de café e fumo de corda para
sustento da casa. Desde então, de geração para geração, a vocação para cultivar as plantas só
cresceu.
Morador do bairro dos Marianos, Célio, passou grande parte da sua vida dedicada ao sítio, mas
também já trabalhou com diversas outras coisas: em hotel, com monitoria de crianças em escola,
como coletor de sementes para produção de mudas nativas. Concluiu seus estudos, se formou em
biologia e hoje, “voltou às suas raízes” e trabalha com aquilo que faz seus olhos brilharem: a
produção orgânica. Em sua horta, produz de tudo um pouco, hortaliças, frutas, raízes, legumes,
“Separando os produtos para feira, chegamos a listar vinte itens diferentes da nossa produção”, diz
ele satisfeito.
Mas no meio de tanta variedade, a produção do tomate é a sua favorita. “É bonita a lavoura do
tomate. Além disso, é um grande desafio produzi-lo. Somos poucos produtores de um fruto que
todos querem ter na mesa, na sua salada”, diz Célio.
A vida rural tem lá seus desafios. Chuvas fortes fora de época, estações do ano pouco definidas e
tantas outras adversidades. “Apesar de hoje termos mais insumos e tecnologia, sentimos que nosso
maior desafio é a mudança climática. Há 20 anos, quando começamos, os desafios eram outros e a
agricultura orgânica era pouco conhecida”.
Célio é um exemplo a ser seguido. Para quem se identifica tanto com as plantas, não faltou
inspiração para ele continuar plantando. Além de suas hortaliças, Célio também é plantador de
floresta e sabe o valor que mata nativa tem em sua propriedade. “A natureza presta um serviço para
gente, que é de graça, e nem sempre as pessoas ou os produtores valorizam. A água, a polinização, o
controle biológico das pragas na nossa lavoura. Isso não tem preço”, comenta Célio.
Que o exemplo do Célio possa inspirar mais pessoas a manterem uma relação saudável e harmônica
com a natureza. Porque como ele mesmo diz, “a agricultura orgânica é parceira do meio ambiente.
Ela faz bem para todos, para quem planta, para quem consome e também para a natureza”.
Célio recebeu apoio para recuperação da sua floresta pelo Verde Novo, projeto executado pela
Copaíba, patrocinado pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental. Para saber
mais entre no site.

Compartilhar

Comentários